Rua Pe. Martinho Pinto da Rocha São Tomé, São Tomé e Príncipe
+239 2223455

Papa Francisco recebeu Bispos da Conferência Episcopal de Angola e São Tomé

O Papa Francisco recebeu em audiência, nesta segunda-feira, dia 17, os Bispos da Conferência Episcopal de Angola e São Tomé presentes em Roma para a visita “ad Limina Apostolorum”. Foi um encontro marcado pela simplicidade, informalidade e profundo sentido de proximidade.

 

Um encontro de simplicidade, informalidade e profundo sentido de proximidade!

 

Os Bispos da Conferência Episcopal de Angola e São Tomé afirmaram que o Papa Francisco está “completamente à disposição dos irmãos no Episcopado”, após uma audiência no Vaticano por ocasião da visita “ad Limina Apostolorum”.

O Arcebispo do Lubango e presidente do Simpósio das Conferências Episcopais de África e Madagáscar (SCEAM/SECAM), D. Gabriel Mbilingi, e o Bispo do Namibe, D. Dionísio Hisiilenapo, consideraram o encontro com o Papa de intensa simplicidade que deixou à vontade como “entre irmãos no Episcopado, o que revela a elevada sensibilidade pastoral do pontífice”.

Segundo os prelados, “simplicidade, informalidade e profundo sentido de proximidade” foram as marcas do encontro realizado no âmbito da visita ‘ad Limina Apostolorum’, divulga o sítio online ‘Vatican News’.

Sobre os desafios de Angola, D. Gabriel Mbilingi explicou que a Igreja Católica trabalha pela “reconciliação, a justiça e a paz” e por “reconstruir o tecido social”.

Os Bispos da CEAST referiram que no país lusófono onde os pobres agora são mais pobres e os ricos são mais ricos, enquanto o novo Executivo tenta combater a corrupção, o nepotismo e o açambarcamento de recursos para uma maior legalidade.

Por sua vez, o Bispo do Namibe, D. Dionísio Hisiilenapo, explicou que “um dos desafios da Igreja” é a presença de seitas hostis à sua ação numa “sociedade em que quase 60% da população é constituída por católicos”.

As migrações são uma realidade no continente africano e o presidente do Simpósio das Conferências Episcopais de África e Madagáscar adiantou que a Igreja trabalha em concertação com a União Africana num problema que é preciso ter “em conta a corrupção, a má governação, o desemprego acentuado, o custo de vida elevado, os sonhos e os conflitos muitas vezes fomentados a partir do exterior”.

A visita ‘Ad Limina Apostolorum’, que terminou esta segunda-feira, começou no dia 9 de junho; além do encontro com o Papa Francisco, os Bispos da CEAST foram recebidos em diversas Congregações e Dicastérios da Cúria Romana.

 

Fonte: Agência Ecclesia