Rua Pe. Martinho Pinto da Rocha São Tomé, São Tomé e Príncipe
+239 2223455

Bispo envia Mensagem aos Diocesanos

O Bispo Diocesano publicou hoje uma Mensagem de coragem e esperança a toda nossa Diocese. No texto, D. Manuel António dos Santos faz referência à actual situação de pandemia que estamos a viver, ao Dia da Juventude Católica Santomense, ao Mês de Maria e Dia da Mãe, bem como sobre o Dia do Bom Pastor que celebraremos neste 4º Domingo da Páscoa.

Caros sacerdotes, Irmãos e Irmãs consagrados, catequistas, animadores de jovens e outros servidores da nossa Igreja, Santo Povo de Deus, meus irmãos e minhas irmãs,

Estamos a celebrar o 4º Domingo de Páscoa. Continuamos o nosso caminho de fé iluminados pela esperança que nos vem de Jesus Cristo ressuscitado. Ele é o nosso Bom Pastor, que veio para nos dar vida e vida em abundância.

Com esta Mensagem, quero levar uma palavra amiga, de coragem e esperança, a todos vós, ressaltando quatro pontos:

 

  1. A situação de pandemia que estamos a viver

É uma situação difícil para todos, mas particularmente para aqueles que têm de procurar todos os dias alimento para si e os seus. O desemprego faz-se presente como nunca, com todas as consequências daí derivadas. Se, em países desenvolvidos, esta pandemia está a causar situações de pobreza, de fome mesmo, até entre pessoas que usufruíam de uma vida economicamente estável, aqui cria constrangimentos difíceis para todos. Procuremos ter o máximo de cuidado para evitarmos situações de contágio (mantendo a distância social pedida, evitando festas e ajuntamentos, usando máscaras de protecção, tendo os cuidados higiénicos recomendados) e sejamos solidários uns com os outros. Juntos podemos ultrapassar este momento difícil para todos. Vivo as vossas preocupações e rezo ao Senhor da Vida para que nos liberte deste mal que a todos aflige.

Enquanto não se alterar a situação, iremos procurar fazer-nos presentes junto de vós através dos meios de comunicação social e das plataformas sociais. Continuaremos a transmitir a Eucaristia aos Domingos pela TVS, às 7h, e pela Rádio Jubilar, às 6h, 11h e 17h30. Durante a semana transmitiremos a Eucaristia através da Rádio Jubilar às 6h e 17h30, com a recitação do Terço antes da missa das 17h30.

 

  1. Dia da Juventude Católica Santomense

Até 2019, o Dia da Juventude Católica Santomense celebrava-se no Domingo de Jesus Cristo Rei. Por razões de ordem prática, resolvemos começar a celebrá-lo neste IV Domingo de Páscoa. Infelizmente, este ano, tal não foi possível. Iremos programá-lo para uma outra data que seja favorável. No entanto, quero deixar uma palavra aos jovens.

Jovens, a sociedade precisa de vós, dos vossos sonhos, da vossa generosidade, da vossa força. Sei que sois dos mais atingidos com este flagelo. Muitos estavam à procura do primeiro emprego; outros estavam a terminar os seus cursos; outros estavam em empregos ligados à restauração, ao turismo, ao artesanato … sectores dos mais atingidos por esta pandemia. Para muitos, a Igreja era lugar de encontro, lugar onde encontravam ânimo para seguirem em frente. Havia quem se estava a preparar para o baptismo, para o crisma… e tudo ficou adiado, e a Igreja encontra-se de portas fechadas!!!

Mas se não podeis ir ao encontro de Jesus Cristo o Bom Pastor à Igreja, tende a certeza que Ele vai ao vosso encontro, Ele vai até às vossas casas, levando-vos uma palavra de coragem, de ânimo. Há sempre momentos de Sexta-feira Santa nas nossas vidas, de cruz, mas a Páscoa sempre chegará, com a sua luz de esperança, de ressurreição. Coragem, Cristo está convosco, a Igreja está convosco!

 

  1. Mês de Maria e Dia da Mãe

Hoje a Igreja celebra o “Dia da Mãe”. O mês de Maio é tradicionalmente dedicado a Nossa Senhora, Mãe de Jesus Cristo, nosso Deus e Senhor. A Igreja recorda este mês de um modo especial através da oração do Terço. Este ano, o Santo Padre escreveu uma pequena Carta, recomendando de um modo insistente esta oração, tão bíblica. Rezar o terço é rezar a Bíblia. Rezemos o terço em família. Meditemos os mistérios da vida de Jesus Cristo, nesta oração, e, com as palavras do Anjo e de Santa Isabel, louvemos Aquela para quem o Senhor olhou e cobriu com a sua sombra (cf. Lc 1, 34), por isso, todas as gerações a proclamarão bem-aventurada (Cf. Lc 1, 48).

Maria é apresentada como a Mãe, por excelência, por isso, no mês de Maio, a Igreja dedica um dia às mães. Concretamente, na nossa Igreja, este Domingo, como primeiro Domingo de Maio, é dedicado àquelas que, como Maria, deram filhos ao mundo, aquelas através das quais nascemos, nos tornamos homens e mulheres vivos. Pode dizer-se muitas coisas das mães. Nesta nossa terra, elas são a coluna vertebral da nossa sociedade: cuidam delas, dos filhos, dos pais dos filhos, dos seus pais… São, normalmente, as primeiras a levantar-se em casa e as últimas a deitar-se. E quantas se vão deitar com fome, para que os filhos possam comer alguma coisa; e se nem para os filhos têm, as lágrimas são a dobrar.

Na situação que vivemos, elas têm de inventar mil estratégias para alimentarem a família. O mundo vive porque há mães a cuidar dele. Obrigado, mulheres desta terra; obrigado, mães de São Tomé. Hoje é o vosso dia, embora todos os dias sejam vossos. Deus vos abençoe e continue a dar-vos forças para assumirdes com dedicação e coragem o vosso papel de mães. Que sejais sempre mães. Que o vosso ventre seja sempre lugar de vida e nunca de morte. E que a Igreja aprenda convosco também ela a ser sempre Mãe.

 

  1. DIA DO BOM PASTOR

Como já dissemos, estamos a celebrar o Domingo de Jesus Cristo o Bom Pastor. O Evangelho apresenta-nos Cristo a porta das ovelhas e o Bom Pastor que cuida delas com dedicação e entrega, até dar a vida por elas. Aos seus discípulos, Jesus recomendava que fossem bons pastores como Ele. E ao longo dos tempos, muitos Bispos e sacerdotes deram a vida pelas suas ovelhas. Lembremo-nos de São Damião de Molokai, que deu a vida pelos leprosos; de São Maximiliano Kolbe, que deu a vida por um outro prisioneiro; de tantos sacerdotes, Irmãos e Irmãs Consagrados, que, em situações de doença, têm estado ao lado dos irmãos, arriscando a própria vida, e muitos acabam sofrendo as consequências desta dedicação, ficando também eles doentes e encontrando mesmo a morte.

Quero hoje, agradecer aos sacerdotes, que trabalham em São Tomé e Príncipe, a sua dedicação, a sua presença junto do povo de Deus, a sua oração permanente pelo povo que lhes está confiado. Que o Senhor os recompense e esteja sempre ao seu lado como pastor que guia e ampara. E que o Senhor continue a enviar-nos muitos e santos pastores, pastores à imagem do Bom Pastor que é Jesus Cristo. Rezai pelos nossos sacerdotes e rezai por mim.

Deus abençoe a todos!

Deus abençoe São Tomé e Príncipe!

 

São Tomé, dia 2 de Maio de 2020

+ Manuel António Mendes dos Santos, cmf