Rua Pe. Martinho Pinto da Rocha São Tomé, São Tomé e Príncipe

18ª Semana – Sábado – T.C.

IMG_5014

Mt 17, 14-20

… se tiverdes fé como um grão de mostarda,… nada vos será impossível”.

 

 Quão embaraçados ficaram os doze, depois de se encontrarem na impossibilidade de fazer o milagre!  É verdade que abandonaram tudo para seguir Jesus, mas não conseguiram curar o jovem epiléptico por causa da “pouca fé” – “Oh geração incrédula…”!

 Que fique claro: eles são crentes, como nós, têm fé, mas é fraca, vacilante e hesitante, com predomínio da desconfiança e da dúvida.  É uma fé que não está totalmente enraizada no relacionamento com Cristo. Uma fé que não é capaz de fazer nascer a obra … uma fé morta em si mesma (cf. Tg 2,17-18).

 Apesar da pouca fé, são humildades na admissão da incapacidade de realizar o milagre – “por que motivo não pudemos nós expulsá-lo?”, perguntam eles a Jesus. Talvez pensavam que tivessem aprendido bem a fazer milagres … não haveria necessidade de incomodar o Senhor, que é a fé por excelência.

 Pois, na verdade, o epiléptico representa aqueles que desvalorizam o poder da fé;  que não estão atentos à presença de Deus no meio deles.  A presença de Deus em Jesus, que é o Emanuel – Deus connosco (cf. Lc 1, 23), não é reconhecida;  antes pelo contrário, sabendo apenas algo sobre Jesus não é suficiente, urge a verdadeira e autêntica fé.

 E Jesus é claro e peremptório: “por causa da vossa pouca fé … se tiverdes fé comparável a um grão de mostarda, direis a este monte: ‘Muda-te daqui para acolá’, e ele há-de mudar-se”.

 Caríssimos, Jesus pede que nos deixemos guiar, nas nossas ações, pela força da fé, que deveria ser forte sobretudo nos momentos de provação e sofrimento e atinge a maturidade quando já não nos escandalizarmos com a Cruz, sua aparente fraqueza.

Se tiverdes fé comparável a um grão de mostarda, … nada vos será impossível”. A fé pode fazer tudo, desde que nos renunciemos a confiar em nossas habilidades humanas, ela pode mover montanhas. Os discípulos, a comunidade primitiva experimentaram que a incredulidade não pode ser superada  com oração e jejum, mas é preciso aderir à morte e ressurreição de Jesus: “Meu Senhor e meu Deus!  (Jo 20,28).

 … Sim, temos pouca fé, Jesus; é verdade, temos dificuldade em acreditar.  Dai-nos a Luz que habita o Seu coração, Senhor, e “aumentai a nossa fé” (Lc 17,5).

Boa meditação, caríssimos. JB

Deixe um comentário