Rua Pe. Martinho Pinto da Rocha São Tomé, São Tomé e Príncipe

28ª Semana – Sábado – T.C.

BA855F6F-FBBD-4FD5-B880-EC395B9A998F

Lc 12, 8-12

O Espírito Santo vos ensinará naquele momento o que haveis de dizer”.

 

E todo aquele que disser uma palavra contra o Filho do homem será perdoado”, porque não é fácil ver Deus em quem é perdedor e crucificado.

Já, “quem tiver blasfemado contra o Espírito Santo não será perdoado”, ou seja, não serão perdoados os que fecham o coração ao Espírito da verdade, ou seja, à evidência da fé. Ademais, rejeitando o espírito profético que está nas ações e no ensinamento de Jesus, rejeitamos o encontro com a ação misericordiosa e salvadora do Pai.

E aí vem o pecado da presunção que é contra o Espírito. Portanto, a acusação, em primeiro lugar, é dirigida aos fariseus, convencidos que vêem, mas são cegos como diz Jesus. Mas depois, o mesmo pecado também assalta o coração de muitos de nós, cristãos, que recebemos o Espírito, mas que não se deixam guiar por Ele. Ao pertencê-Lo, muitas vezes nos vem a vã tentação de possuí-Lo.

Indo ainda mais longe, existem aqueles que gostariam de aprisionar o Espírito de Deus nas suas mentes e ditar-Lhe as regras.  Pecado antigo … de Adão e Eva, daqueles que pensaram em substituir Deus.

Em vez disso, o evangelista Lucas aqui nos lembra que Jesus, convidando os seus discípulos a serem fiéis até o fim, havia prometido a eles uma ajuda especial do Espírito Santo: não vos preocupeis com o que haveis de responder nem com o que haveis de dizer em vossa defesa. O Espírito Santo vos ensinará naquela hora o que haveis de dizer”.

Deus, todo-poderoso, procura não intervir nas ações dos arrogantes. Ademais, somos todos livres filhos e filhas de Deus, de modo que Ele não esforça a nossa liberdade. Podemos escolher não estar com Ele, não encontrá-Lo, porém, saibamos também que havemos que arcar com as pesadas consequências. Além disso, hoje, mais do que nunca, não podemos permanecer neutros, pois se nos apresenta todos os dias a oportunidade de darmos testemunho do nosso Deus, falando ou calando, com prontidão para responder ou optando pela previdência de calar.

O importante é ser dócil ao Espírito Santo: de fato, é Ele quem nos “ensinará naquela hora o que haveis de dizer” e sobretudo nos dá a força interior e exterior para alcançar também aquele testemunho que contemplamos maravilhados nos antigos mártires e aqueles dos nossos tempos.

Além da docilidade ao Espírito, é preciso sermos humildes; sentirmos-nos “pequeninos”  e saber que Deus é Luz e um Pai muito terno. É a única forma de conhecimento num mundo surdo à fé.

Boa meditação e bom fim de Semana, caríssimos. JB

Deixe um comentário