Rua Pe. Martinho Pinto da Rocha São Tomé, São Tomé e Príncipe

29ª Semana – Sexta-feira – T.C.

IMG_5479

São João Paulo II, Papa (séc. XX)

Lc 12, 54-59

… porque não sabeis discernir o tempo presente?

 

Saber reconhecer os sinais dos tempos é uma prova de fé para os cristãos. 

E hoje, Jesus censura a cegueira dos seus contemporâneos, porque, embora saibam “discernir o aspeto da terra e do céu”, fazendo até previsões em função do tempo, não sabem “discernir o tempo presente”, o tempo messiânico: o Reino de Deus e o Evangelho, literalmente “a Boa Nova”, que está presente entre eles.

Diria Ele, “não percebeis que o tempo mudou: que é hora de parar com a vida habitual, é hora da decisão, a hora da conversão, da mudança de maneira de ver as coisas, antes de chegarmos diante do juiz?!”.

Caríssimos, devemos ser ativos diante desses sinais, reconhecer a vontade de Deus e atuar, com o nosso testemunho, a sua mensagem por meio de Cristo, que nos apresentou um Reino de misericórdia, reconciliação e paz.

Saibais disto, irmãos e irmãs, caríssimos: o desleixo em compreender o anúncio evangélico e de não concretizar o Reino de Deus nos coloca diante das nossas responsabilidades, nos faz viver como hipócritas, nos torna estranhos diante das realidades humanas, principalmente quando isso implica ir contracorrente.

Santo Agostinho dizia que “… a natureza, a criação, é o primeiro livro escrito por Deus, e Ele fala por meio da natureza”. O pecado que habita em nós (cf. Rm 7,20), porém, a todos, nos tornou um pouco míopes e, por isso, encontramos a dificuldade de captar a presença de Deus na história. Mas, a Sagradas Escritura, o segundo livro de Deus, ajuda a interpretar a vida com outros parâmetros. Somos filhos e filhas de Deus: usamos os seus olhos para ler a história e assim “discernir o tempo presente”.

A respeito disso, o Papa Francisco disse: “Jesus nos pede que pensemos livremente, que pensemos para entender o que acontece.  Mas, a verdade fundamental é que não podemos pensar sozinhos!  Precisamos da ajuda do Senhor.  Só assim os sinais dos tempos podem ser compreendidos.  O Espírito Santo dá-nos este dom: a inteligência para compreender e não para que outros nos digam o que se passa” (Homilia, Santa Marta, 29.11.13).

A inteligência, portanto, nos foi dada para entender os sinais que vêm de Deus, do próximo, das circunstâncias da vida.

Que o Senhor, pela intercessão de São João Paulo II, faça com que o oportunismo e o cinismo não permeiem a nossa inteligência, a nossa capacidade, a nossa vontade de reconhecer e acolher o seu Reino que vem.

Boa meditação, caríssimos. JB

Deixe um comentário