Rua Pe. Martinho Pinto da Rocha São Tomé, São Tomé e Príncipe

30ª Semana – Sábado – T.C.

IMG_5547 2

Lc 14, 7-11

Quem se exalta será humilhado e quem se humilha será exaltado

 

No Evangelho de hoje, Jesus observa, quase divertido, a cena onde alguns convidados para o almoço se competem entre si e se acotovelam, exibindo títulos para obter os primeiros lugares.

Então, Ele aproveita para contar uma parábola que coloca a humildade no centro – “último lugar” -, não como regra de etiqueta, mas como uma pérola do Reino. Ele sublinha um aspecto da santidade cristã que é pouco considerado e que pode ser formulado da seguinte maneira: para subirmos pela estrada da santidade é necessário descermos na vida.

Pois, comentando a humildade como fundamento do edificio espiritual, S. Agostinho já dizia: “se pensas construir o edifício alto da santidade, prepara primeiro o alicerce da humildade. […] até mesmo um edifício antes da elevação é abaixado, e o coroamento não é colocado senão após o abaixamento” (Sermão 69, 1-2). Portanto, o caminho da perfeição é uma descida até chegar ao último lugar que, como Santa Teresa de Jesus gostava de dizer, “é sempre livre”.

E isso é reconfortante, porque ao discípulo não lhe vem pedido para escalar um pico de 8000 metros, mas sim de ir um pouco mais abaixo, em suma, não exibir, não ter a tentação de querer aparecer… Mesmo assim, continua sendo algo difícil e  exigente porque colide de frente com o seu orgulho e amor-próprio que, por hábito, não são de ficar abaixo do nível que se reivindicam para si.

O Senhor, todavia, tinha que desmontar as pretensões dos fariseus e os devotos de então, ridicularizá-los e menosprezar alguns aspectos da fé considerados intocáveis, trazendo assim tudo de volta à essencialidade.

Caríssimos, muitos dos nossos irmãos e irmãs, de forma frequente, se aprazem de se considerar importantes a ponto de exibir os seus títulos e as suas habilitações. Basta enxergarmos nos seus cartões de visita. E esta tentação de se ir a busca de primeiros lugares acontece, infelizmente, até connosco, homens da Igreja (mea culpa, mea culpa, mea maxima culpa!”).

Pois, interpelando-nos sobre a humildade e o serviço, Jesus nos propõe a viver como irmãos e irmãs, sem qualquer espírito de competição – “quem se exalta será humilhado e quem se humilha será exaltado”.

Boa meditação e bom fim de semana, caríssimos. JB

Deixe um comentário