Rua Pe. Martinho Pinto da Rocha São Tomé, São Tomé e Príncipe
+239 2223455

«Com o amor não se brinca» – Papa Francisco

Reflexão sobre o casamento sublinha necessidade de preparação séria, antes da celebração do Matrimónio
http://www.agencia.ecclesia.pt/portal/wp-content/uploads/2018/10/DOC.20181024.25018323.07115517.jpg 

 O Papa Francisco disse hoje no Vaticano que a Igreja Católica tem de apostar na formação séria dos noivos, com uma “preparação cuidada”, uma espécie de “catecumenato”, à imagem do que acontece antes do Baptismo de adultos.

“No amor joga-se toda a vida, com o amor não se brinca. Não se pode falar de preparação de matrimónio com três ou quatro conferências dadas na paróquia. Isto não é uma preparação, isto é fingir a preparação. A responsabilidade de quem faz isto cai sobre eles, os párocos, o bispo que permite estas coisas”, denunciou, falando de improviso, na Praça de São Pedro, durante a audiência pública semanal.

Francisco prosseguiu o ciclo de reflexões sobre os Mandamentos, desta feita falando sobre o sexto, ‘Não cometer adultério’.

O pontífice sustentou que o casamento não é um ato formal, mas um “Sacramento que se deve preparar com um verdadeiro catecumenato”.

“A vida conjugal exige um tempo de noivado para discernir e verificar a qualidade da relação. Os noivos, para aceder ao sacramento do Matrimónio, têm de amadurecer a certeza de que não basta só a boa vontade, mas tem de apoiar-se no amor fiel de Deus”.

O Papa declarou que nenhuma relação humana é verdadeira sem “fidelidade e lealdade”, porque “não se pode amar só até quando dá jeito”

O amor “sem reservas”, acrescentou, é algo que cada pessoa procura, mas existe o perigo de que o “vazio” do coração seja preenchido por relações sem profundidade, “estéreis e imaturas”.

“Assim acontece a sobrevalorização da atracção física, que em si é um dom de Deus, mas que está destinada a preparar o caminho para uma relação autêntica e fiel com a pessoa”, assinalou Francisco.

A Prefeitura da Casa Pontifícia (Santa Sé) estima que tenham participado cerca de 20 mil peregrinos, dentro de uma Praça de São Pedro rodeada por fortes medidas de segurança.

Cidade do Vaticano, 24 out 2018 (Ecclesia)

OC